News > Notícias

Data: 16.12.2016 Fonte: Squadra Consultoria

Entrevista: sócio da Squadra fala sobre Caos Social no maior veículo sobre segurança do país

O sócio-fundador da Squadra, Gustavo Caleffi, é o entrevistado da recente edição do Jornal da Segurança, maior e mais importante publicação do segmento no Brasil. Em quatro páginas, ele fala sobre o Caos Social em que o país se encontra, abordando o tema complexo com grande propriedade, já que escreveu um livro sobre o assunto.

Caleffi inicia a entrevista com uma definição: “Caos Social é um Estado que vive na total impunidade”, lembrando que essa impunidade foi gerada por uma soma de fatores da falência da nossa sociedade, ilustrada no esquema criado por ele (ver figura).

“Quando passamos a ter milhares de casos de delinquentes sendo presos pela polícia e soltos pela justiça, mais de uma dezena de vezes pelo mesmo crime, no mesmo ano, demonstra-nos que nossas leis não atendem mais a necessidade de nossa sociedade, ficando óbvio que nossa legislação criminal é falha e branda”, comenta.

Para ele, a impunidade é a principal mola propulsora da criminalidade no Brasil. “Tendemos a falar de criminalidade urbana, mas deixamos de tratar de outros tipos de crime, que andam junto e são o reflexo também da impunidade. Trago como exemplo o crescimento de fraude no Brasil, o que não é um crime violento, mas prejudica absurdamente nossas empresas”, diz em um trecho da entrevista.

Caleffi discorre ainda sobre vários tópicos, como a discussão da desmilitarização da polícia, o desarmamento civil, o papel da sociedade no processo de vitimização pela violência e o papel exercido pelo Estado no combate a crimes, entre outros assuntos.

Ao final, faz um prognóstico alarmante e propõe um caminho. “Devido à análise estatística do comportamento da criminalidade no Brasil, devemos esperar um aumento da criminalidade em progressão geométrica, como já vem ocorrendo há décadas no país”, explica. E pondera: “A sociedade tem sim que compreender que a mudança neste cenário depende da união de forças e da cobrança dos governos, de passarem a encarar segurança pública como prioridade número um, pois sem vida, não adianta ter saúde, educação, saneamento básico, etc. Necessitamos de um plano nacional de segurança, onde seja claro e viável ações em âmbito nacional, estadual, municipal e até por microrregiões ou bairros, sem isto, não há como revertermos esta caótica situação”, finaliza.

A entrevista na íntegra pode ser acessada somente para assinantes.

Copyright © 2011 - Squadra Consultoria

squadra@squadraconsultoria.com.br

Tel: +55 (51) 3026.3184